terça-feira, 7 de setembro de 2010

Dinâmica de Oração – A oração do Pai Nosso?

Objetivo: Meditar na oração do Pai Nosso.
Pedir que uma pessoa com uma cópia da meditação fique escondida. Se for em um local com serviço de som será melhor. Peça para uma pessoa rezar o Pai Nosso bem devagar, parando em cada frase. Quando a pessoa ficar meio perdida ou desconfiada, dar uma cópia para ela sem as respostas.
· Pai nosso que estais no céu ...
- Sim? Estou aqui.
· Por favor, não interrompa, estou rezando!
- Mas você me chamou!
· Chamei? Eu não chamei ninguém. Estou rezando: Pai Nosso que estais no céu...
- Aí, você me chamou de novo.
· Fiz o que?
- Me chamou! Você disse: Pai Nosso que estais no céu. Estou aqui! Como é que posso ajudá-lo?
· Mas eu não quis dizer isso. É que estou rezando. Rezo o Pai Nosso todos os dias, me sinto bem rezando assim. É como se fosse um dever e não me sinto bem até cumpri-lo”
- Mas como podes dizer Pai Nosso, sem lembrar que todos são teus irmãos, como podes dizer, que estais no céu, se você não sabe que o céu é a paz, que o céu é o amor a todos.
· É, realmente não havia ainda pensado nisso.
- Mas, prossiga a sua oração!
· Santificado seja o vosso nome...
- Espere aí! O que você quer dizer com isso?
· Quer dizer, quer dizer, é... Sei lá o que significa. Como é que vou saber. Faz parte da oração, só isso!
- Santificado significa digno de respeito, santo, sagrado.
· Agora entendi. Mas nunca havia pensado no sentido dessa palavra SANTIFICADO. Venha a nós o vosso Reino, seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu...
- Está falando sério?
· Claro, porque não?
- E o que você faz para isso acontecer?
· O que faço? Nada. É que faz parte da oração e além disso seria bom que o Senhor tivesse um controle de tudo o que acontece no céu e na terra também.
- Tenho controle sobre você?
· Bem, eu freqüento a Igreja!
- Não foi isso que eu perguntei. Que tal o jeito que você trata os seus irmãos, a maneira como você gasta o seu dinheiro, o muito tempo que você dá à televisão, as propagandas que você corre atrás e o pouco tempo que dedica a mim?
· Por favor, para de criticar.
- Desculpe, pensei que você estava pedindo para que fosse feita a minha vontade. Se isso for acontecer tem que ser com aqueles que rezam, mas que aceitam a minha vontade, o frio, o sol, a chuva, a natureza, a comunidade.
· Está certo, tem razão, acho que nunca aceito a sua vontade, pois reclamo de tudo: se manda chuva, peço sol, se manda sol, reclamo o calor, se manda o frio, continuo reclamando, se estou doente, peço saúde, se me dá saúde, não cuido dela, deixo de me alimentar, ou como demais...
- Ótimo reconhecer tudo isso. Vamos trabalhar juntos eu e você. Mas olha, vamos Ter vitórias e derrotas também. Eu estou gostando dessa nova atitude sua.
· Olha, Senhor, preciso terminar agora. Esta oração está demorando muito mais do que costuma ser! Vou continuar: o pão nosso de cada dia nos daí hoje...
- Pare aí, você está pedindo pão material? Não só de pão vive o homem, mas também da minha palavra. Quando me pediram o pão lembre-se daqueles que nem conhecem pão. Pode pedir-me o que quiser desde que me veja como um Pai amoroso! Estou interessado na próxima parte de sua oração. Continue!
· Perdoe as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido...
- E o seu irmão desprezado?
· Está vendo? Olhe Senhor, ele me criticou várias vezes e não era verdade o que dizia. Agora não consigo perdoar. Preciso me vingar.
- Mas, e sua oração? O que quer dizer sua oração? Você me chamou, e eu estou aqui, quero que saia daqui transfigurado, estou gostando de você porque está sendo honesto. Mas não é bom carregar o peso da ira dentro de você, não acha?
· Acho que iria me sentir melhor se me vingasse!
- Não vai não! Vai sentir-se pior. A vingança não é tão doce como parece. Pense na tristeza que me causaria, pense na sua tristeza agora. Eu posso mudar tudo para você. Basta você querer.
· Pode? Mas como?
- Perdoe seu irmão, eu perdoarei você e te aliviarei!
· Mas Senhor, eu não posso perdoá-lo!
- Então não me peça perdão também!
· Mas uma vez está certo! Mais do que quero vingar-me, quero a paz com o Senhor. Está bem, está bem; eu perdôo a todos, mas ajude-me, Senhor. Mostra-me o caminho certo para mim e meus inimigos.
- Isso que me pede é maravilhoso, estou muito feliz com você. E você, como está se sentindo?
· Bem, muito bem mesmo! Para falar a verdade nunca me senti assim. É tão bom falar com Deus.
- Ainda não terminamos a oração, prossiga...
· E não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal...
- Ótimo, vou fazer justamente isto, mas não se ponha em situações onde possa ser tentado.
· O que quer dizer com isso?
- Deixe de andar na companhia de pessoas que o levam a participar de coisas sujas, intrigas, fofocas, abandone a maldade, o ódio, isso tudo vai levá-lo para o caminho errado. Nas mais use como saída de emergência.
· Não estou entendendo!
- Claro que entende! Você já fez isso comigo muitas vezes. Entra no erro depois corre a me pedir socorro.
· Puxa, como estou envergonhado!
- Você me pede ajuda, mas logo em seguida volta a errar de novo para mais uma vez vir a fazer negócio comigo!
· Estou com muita vergonha. Perdoe-me Senhor!
- Claro que perdôo! Sempre estou perdoando quem perdoa também, mas não esqueça, quando me chamar, lembre-se de nossa conversa, medite cada palavra que fala. Termine sua oração.
· Terminar? Há, sim, “Amem”!
- O que quer dizer com amém?
· Não sei, é o final da oração?
- Você só deve dizer “amém” quando aceita tudo o que quero, quando concorda com a minha vontade, quando segue os meus mandamentos, porque AMÉM quer dizer: Assim seja, concordo com tudo que rezei.
· Senhor, obrigado por ensinar-me.
- Eu amo a cada um dos meus filhos e filhas, principalmente o que quer sair do erro. Abençôo-te e fica com a minha paz.
· Obrigado, Senhor! Estou muito feliz em saber que és meu amigo
Refletir com o grupo na importância da oração, em especial, da oração do Pai Nosso. Ajudar a todos a expressarem suas opiniões.