domingo, 20 de março de 2011

EU SOU A LUZ DO MUNDO

Duração: 30 min

Material: uma vela e pedaços de papel com a passagem bíblica Mateus 5. 14-16 para cada participante, ambiente escuro (ideal se for feito a noite ou em sala que possa ter as janelas fechadas), fósforo ou isqueiro, durex ou barbante

Sentados em circulo, sugerir que fechem os olhos e façam uma oração silenciosa, por alguns minutos; enquanto isso apague as luzes do ambiente.

Comentar sobre a escuridão do ambiente, se é confortável ficar assim sentado, de olhos fechados, no escuro... abrir os olhos; melhorou, é bom o escuro? o que eles fazem quando acaba a luz.Dá para fazer alguma coisa no escuro?

O coordenador acende uma vela e lê o texto de Mateus 5. 14-16. Dizer que a vela acesa representa a luz de Cristo.

Perguntas: O que quer dizer este texto? Adianta eu acender esta vela e colocá-la atrás de mim? (coloque a vela acesa atrás de você) Melhora se eu colocar a vela a minha frente e mais para o alto? (mostre a vela) E se cada um de nós tivesse uma vela, ficaria mais claro?

O coordenador levanta e dá a cada participante uma vela, mas não acende. Ficou mais claro? Não, por que? O que falta?

Cristo disse que ele era a luz do mundo, de que luz ele está falando? Ele quer iluminar os cantos escuros do mundo, como? Através de sua Palavra, de seu amor, de sua morte na cruz. E você, pode ser luz? Como? Nossa vida pode iluminar a vida dos outros.

Agora um acende a sua vela na de Cristo dizendo: “Quero a tua luz Senhor, para que a minha vida ilumine a vida de meus irmãos!” Agora, acenda a vela do seu vizinho dizendo algo sobre Cristo e sobre ser luz enquanto vai acendendo a vela do vizinho e assim consecutivamente (atenção com os cabelos e com pingar cera derretida sobre as pernas). Agora ficou mais claro o nosso ambiente, claro com a luz de Cristo em nossa vida.

Deixar um momento de reflexão e oração; acender as luzes da sala e apagar as velas. Pedir que falem sobre o que pensaram e sugerir uma atividade para levar a luz de Cristo para outros.

Escrever num pedaço de papel o versículo ou a frase que lhe foi dita ao acender a vela. Atar o papel à vela, com durex ou barbante (de forma que possa ler o escrito); presentear esta vela aos pais ou a um amigo.

segunda-feira, 14 de março de 2011

Interpretando um Texto Bíblico


Esta dinâmica pode ser feita mensalmente para ajudar as crianças a interpretarem um texto.

Escolher um texto bíblico ou o texto que será estudado no encontro.

- Fazer uma leitura silenciosa do texto;

- Leitura do texto em grupo;

- Repetir a leitura procurando usar versões diferentes da Bíblia;

- Discutir em grupo o contexto: como seria os personagens da época, como seria o lugar, um fato histórico da época, a realidade em que os personagens do texto viviam...

- O que o texto está quer falar para nós, hoje;

- O que cada personagem quer dizer para nós hoje;

- Dar um título ao texto;

- Com a opinião de todos, contar a narrativa com suas próprias palavras;

- O catequista assume o papel do personagem principal e o grupo faz uma entrevista, a partir do texto;

- O catequista vai apresentando os demais personagens, escolhendo alguém para representá-lo e o grupo escreve uma frase para caracterizar cada personagem.

- Destacar as atitudes mais importantes do texto e dos personagens.

- Fazer um teatro com o texto.

-

sábado, 12 de março de 2011

A Viagem

Todos nós temos sonhos na vida e nem sempre os nossos sonhos estão de acordo com o projeto de nossa família. Você já tem os seus sonhos? Faça uma relação de dez sonhos que são importantes para você. Escreva em uma folha os cinco sonhos que são prioridades para você.

Vamos agora fazer uma viagem, uma viagem muito especial, a maior viagem de nossas vidas. Esta viagem não tem volta e a nossa bagagem será os nossos sonhos.

5. Com nossos sonhos em mãos e saindo de casa temos nossa primeira dificuldade, nem todos os nossos sonhos cabem no carro que vai nos levar, assim temos que abandonar um. Qual deles seria? Coloque o número cinco.

4. Seguindo viagem, nosso carro quebra e temos que seguir a pé, mas devido ao peso das nossas bagagens temos que deixar outra de lado, ficando somente com três. Qual sonho foi abandonado? Coloque o número quatro.

3. Em nossa caminhada nos deparamos com um cachorro que começa a corre atrás de nós para nos atacar, e para podermos escapar de uma mordida temos que deixar outro sonho, ficando com dois sonhos. Qual sonho ficou para trás? Coloque o número três.

2. Após um caminho tortuoso até a entrada no outro país, encontramos uma alfândega onde somos barrados e temos que seguir somente com uma mala, qual sonho deixamos? Coloque o número dois.

Qual o nosso maior sonho, aquele que nunca abandonamos?

Explicação: O carro cheio representa a nossa família que muitas vezes nos fazem desistir de alguns sonhos que podem nos machucar mais tarde. O peso das malas representa o tempo no qual tentamos realizar esse sonho que pelo cansaço ou não ser a hora certa, desistimos. O cachorro tem conotação de perseguição, assim como Jesus disse que seus discípulos seriam perseguidos, isso é uma purificação e finalmente a alfândega que significa a porta dos céus, nossa última passagem antes de assumir um único sonho para nossa vida inteira. Qual hora foi mais difícil para abandonar um sonho? O que me motiva durante as dificuldades? Que retribuição devo esperar seguindo corretamente todos os meus passos nesta viagem? Qual a retribuição que Deus tem para mim?

quarta-feira, 9 de março de 2011

Espelho de Deus

J PPegar um espelho, mostrar a imagem de cada um dos participantes refletida no espelho e perguntar: O que está vendo? Certamente responderão: Eu, meu rosto, estou me vendo... Explicar que o espelho reflete a imagem da pessoa, só que inversa. Ler: Genesis 1, 26s. Repetir a pergunta. Explicar: Somos o espelho de Deus. Fomos feito a SUA imagem e semelhança. Refletimos a sua imagem. O que nos diferencia é o pecado.