sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Coroa do Advento e Árvore de Natal -

              Este ano a nossa coroa do advento terá algumas modificações. Iremos montar a nossa coroa do advento aos poucos e conto com a participação de todos os nossos amigos. Este ano o nosso advento terá um acompanhamento da Árvore e por isso primeiro temos que conhecer a simbologia da Árvore de Natal.


            
  Para a nossa coroa do advento precisamos primeiro fazer uma armação para a coroa. Pode ser feita em ferro. com partições para as velas com uma certa diferença de altura de acordo com as velas que serão acesas semanalmente. Observe a nossa armação acima.
Faça também um castiçal para sete velas, relativo ao número de dias da semana. (Lembre-se: a criatividade é sua. Aqui damos apenas dicas.) O castiçal deve encaixar dentro da coroa do advento. o número de velas está relacionado com  a Luz de Cristo que aumenta em nossa vida de acordo com a nossa fé.

Estou forrando a mesa com papel alumínio para evitar que os pingos de vela danifiquem o móvel.
A árvore de Natal é comum ser um pinheiro, pois o mesmo representa a vida porque além de alcançar uma idade prolongada, muitos deles chegando até 9.500 anos, tem um formato triangular, lembrando a Trindade Santa e dá a impressão de estar sempre apontando para o Céu. Na nossa região é muito difícil encontrar pinheiros, por isso usamos também árvores artificiais. Pode também ser usada uma árvore local sem galhos e decorada conforme a sua criatividade. 

A Coroa do Advento deve ser enfeitada de verde, podendo usar folhas artificiais (como no nosso caso: estou usando festão verde e este outro, com um toque dourado para simbolizar as folhagens verdes, representando a natureza) ou natural, como por exemplo, renda portuguesa ou outro tipo de samambaia que demora muito tempo para perder a sua cor.


A estrela que se coloca na parte mais alta da árvore nós colocamos em uma linha de náilon para ficar como que invisível. Ela irá se aproximar do presépio de acordo com a proximidade do natal.
O presépio também pode ser montado de acordo com a sua criatividade. No entanto deve lembrar que a manjedoura é um coxo onde os animais comem e que o presépio é um local de repouso dos mesmos, em linguajar mais conhecido, um curral. Este curral fizemos de papel amassado como que uma gruta na pedra, uma cerca em volta feita com palitinhos, muita palha pelo chão e granulado representando o esterco dos animais. As peças do nosso presépio: Menino Jesus, Maria, José, curral, manjedoura, o burro, o boi, o carneirinho, Anjos, pastores e estrela. No nosso presépio o Menino Jesus só será colocado na Noite de Natal. Você também pode colocar os três Reis Magos na festa de Reis, dia 6 de janeiro.


As velas são colocadas de acordo com o tempo litúrgico. O primeiro domingo do advento é o domingo vigilância. " Vigiai porque não sabeis o dia que o Senhor virá". A vela a ser acesa é a verde, vela da esperança. Coloque as velas de acordo com cada domingo: a mais alta - a primeira - a verde; a segunda - a vermelha; a terceira - a branca; a quarta - a rocha. Note que as velas menores, colocadas no castiçal são de cor verde, relacionadas com a cor da vela do advento. Na próxima semana serão colocadas as velas correspondentes à cor da vela do domingo do advento. Note que as velas do castiçal vai queimando e igualando na altura.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Dinâmica de oração – Ponte em nós

Objetivo – Forma corrente para oração, permitir a proximidade das pessoas e promover a união.

Desenvolvimento – Todos devem formar um círculo. Fazer o sinal da cruz. O animador fala do valor do respeito, da igualdade e da necessidade de todos viverem em união, uns com os outros e com Deus. O Espírito Santo é quem nos conduz a tudo isto. Por isso devemos sempre manter estes sentimentos, formando uma ponte que vai ligar cada um no colega da direita e da esquerda e todos elevam as preces à Deus. Ao som do trecho reservado da música de Sandy e Junior, uma ponte em nós, os participantes vão fazendo os gestos até formar a ponte que liga o coração de cada um ao do colega e depois um abraço geral para a oração.