sábado, 22 de dezembro de 2012

Dinâmica celebrativa para a noite de Natal



Desenvolvimento: separar as pessoas em grupos iguais e identificar um grupo com o nome de Amor e o outro com o nome de vida. Pedir que cada pessoa de um grupo fique com uma pessoa do outro grupo. Cada vez que um nome for chamado deve responder oi e fazer o gesto relativo ao que o assessor falar.
Amor: oi! Diga para sua vida o quanto você está feliz  por celebrar este natal com ela.
Vida: oi! Pegue nas mãos do seu amor e retribua.
Amor: oi! Pergunte para sua vida se ela tem outro amor.
Vida: oi! Pergunte para seu amor se ela tem outra vida.
Amor: oi! Pergunte para sua vida qual o significado do natal para ela.
Vida: oi! Pergunte para seu amor quem é mais importante para ela.
Amor: oi! Não deixe sua vida escapar, abrace-a.
Vida: oi! Você é livre, vá em busca de outro amor.
Amor: oi! Diga para sua nova vida que está feliz  por celebrar este natal com ela.
Vida: oi! Demonstre que você também está feliz, e abrace seu novo amor.
Amor: oi! Fale para sua nova vida como foi o seu 2012.
Vida: oi! Diga quantos amores você tem.
Amor: oi!  Busque uma vida diferente.
Vida: oi! Deseje Feliz Natal.
Amor: oi!  Retribua com um abraço.
Vida: oi! Seu verdadeiro amor a chama, volte para seu primeiro amor.
Amor: oi! Fale para sua vida que estava com muita saudade.
Vida: oi! Fale para o seu amor como seria sem ele.
Amor: oi! Diga para sua vida como seria se você não tivesse amor.
Vida: oi! Diga para seu amor o que espera para 2013.
Amor e vida: oi! Busquem todos os seus amores e quantas vidas encontrarem e desejem um Feliz Natal! Não esqueçam que o verdadeiro amor é o próprio menino Jesus, o Deus conosco.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

O que você parece pra mim



Esta dinâmica pode ser empregada de duas maneiras: como interação do grupo, com objetivos de apontar falhas, exaltar qualidades, melhorar a socialização, sem que ninguém fique constrangido e como avaliação.
Material: papel cartão, canetas hidrocor e fita crepe.
Desenvolvimento: Cola-se um cartão nas costas de cada participante com uma fita crepe.
Cada participante deve ficar com uma caneta hidrocor. Ao sinal, todos devem escrever
no cartão de cada integrante o que for determinado pelo coordenador da dinâmica
(em forma de uma palavra apenas e no cartão de todos), exemplos:
1) Qualidade que você destaca nesta pessoa;
2) Defeito ou sentimento que deve ser trabalhado pela pessoa;
3) Nota que cada um daria para determinada característica ou objetivo necessário a atingir
nesta dinâmica.
Se for de Avaliação vai depender do que se quer avaliar.
Ex:  O desempenho de cada participante.


sexta-feira, 19 de outubro de 2012

UM CREDO PARA MINHAS RELAÇÕES COM OS OUTROS

Objetivo
1. Estimular uma reflexão sobre a maneira com que cada um se relaciona com os demais (Principalmente com os catequizandos e seus familiares).
2. Desenvolver a noção de que toda pessoa pode aprender a enfrentar conflitos de relacionamento.

Desenvolvimento
Providenciar cópias para todos; dividir o grupo em dois grupos; rezar o credo bem compassado e com intervalos entre um parágrafo e outro para dar tempo de meditar o texto.
O Credo do Bom relacionamento

G l - Você e eu temos uma relação que valorizo e desejo conservar.

G2 - Cada um de nós é uma pessoa à parte, com necessidades particulares e com o direito de satisfazer essas necessidades.

G1 - Quando você estiver com dificuldades em satisfazer suas necessidades, procurarei escutar você com aceitação verdadeira para facilitar que encontre uma solução, em vez de depender das minhas.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Flores para você - Dinâmica de apresentação

Foto tirada na Assembléia Regional de Coordenadores de Catequese - RNI - Dez-2011


Objetivos:
Geral: Favorecer a apresentação do grupo.
Específico: A partir de um estímulo verbal, promover a descontração dos membros do grupo e sua consequente apresentação. Fazer com que todos se sintam a vontade.
Material: Uma flor ou rosa para cada participante. O tipo de flor depende da aquisição financeira do grupo. Também pode pedir antecipado que cada participante traga uma flor ou rosa. Um cartão modelado como crachá.
Desenvolvimento:
1. Na chegada credenciar cada participante com o crachá contendo o primeiro nome da pessoa para facilitar o diálogo.
2. Formar um círculo.

sábado, 6 de outubro de 2012

A escolha – O presente

O Objetivo desta dinâmica é avaliar as qualidades das pessoas, ou como os membros de um grupo veem uns aos outros, dando oportunidade reconhecimento de certos sentimentos e revelações, causando um impacto muito interessante entre os participantes. Serve também para revelar pessoas escolhidas para determinada tarefa. Esta dinâmica também é apropriada para se descobrir ou revelar as afinidades das pessoas dentro do grupo. Experimente!

Material: Presente (?), Papel de presente, cartões escritos com as qualidades.
Desenvolvimento da dinâmica: Se for para escolha de membros de um grupo ou revelação de escolhidas, a votação deve ser feita antecipada e a dinâmica somente para a divulgação. O coordenador pode escolher como presente alguma guloseima como uma caixa de bombons ou pacote de balas onde possa ser dividido com todos os participantes. Deve ser leve e de fácil manejo, pois irá passar de mão em mão. Embrulhe o presente e no fechamento coloque um dos cartões com a primeira qualidade. Embrulhe novamente colocando o próximo cartão e assim sucessivamente até colocar o último. Colocamos um número de qualidades, porem pode ser acrescentado de acordo com a avaliação que o coordenador desejar fazer. Os participantes devem estar em roda ou descontraidamente próximos. Abaixo segue dois modelos. Para o primeiro modelo a leitura é feita por quer recebe o presente, porem a segunda pode ser feita por um narrador.

Modelo 1

 Início: O coordenador vai eleger o primeiro e deixar que os demais sejam escolhidos por cada um. Com o presente nas mãos diz (exemplo): Meus irmãos, escolhi este momento para sugerir as pessoas que se destacaram neste encontro (ou ano), e não gostaria de fazer sozinho; quero contar com a colaboração de todos. Gostaria também de aproveitar este momento para satisfazer um desejo que há muito venho alimentando. Gostaria de presentear uma pessoa muito especial, que durante (o ano ou o encontro) se destacou, tornando-se merecedora de toda minha gratidão. Essa pessoa tem sido uma grande amiga e companheira, nos aproximando tanto, que hoje posso dizer que eu a amo muito e quero nomeá-la com o título de “Anjo da Guarda”. (Abraça a pessoa, entrega o presente e pede que abra o presente)
1º Cartão – Anjo da Guarda
PARABÉNS! Você é muito especial para todos nós! O seu Jeito de ser, suas atitudes, suas escolhas e sua disposição fez com que o escolhêssemos como nosso Anjo da Guarda. O Anjo da Guarda é aquele que faz tudo que lhe pedirem. Para selar este momento quero lhe presentear, não com o conteúdo deste embrulho, mas com o meu reconhecimento, amor e orações para que você possa escolher alguém para animar a nossa vida. Escolha com muita atenção, pois este presente é para esta pessoa.
Ao repassar o presente, a pessoa que recebe deve ouvir o parágrafo 2 e assim por diante:

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Entronizando A Palavra de Deus em minha Vida

Objetivo: Entronizar a Palavra de Deus na minha Vida
1º momento – Minha intimidade com a Palavra de Deus
O catequista  prepara com antecedência um local adequado para a entronização da Bíblia. Depois recepciona os catequizandos com questionamentos em relação a Bíblia.
J Onde a Bíblia é guardada em minha casa? Quem mais ler a Bíblia em minha família. Qual a passagem bíblica que mais me chama atenção?

2º momento – Entronizando a Bíblia!
& Agora é só seguir em procissão até o local da entronização. É importante que a Bíblia esteja guardada em um recipiente bem enfeitado (usar a criatividade) e deve seguir atrás da procissão. Quando chegar ao local, a fila para e fica em posição de fila indiana (As duas filas de frente um com o outro). A pessoa que vier com a Bíblia deve retirar do recipiente, com muito respeito beijá-la, dirigir-se até o primeiro participante e entrega-la dizendo: ―Recebe a palavra da salvação! Este recebe, beija-a e entrega ao que está à sua frente e diz o mesmo.  Os outros devem fazer o mesmo até chegar ao altar onde o ultimo participante se ajoelha diante do altar e diz: ― Eis aqui a Palavra da nossa Salvação! Ele coloca a Bíblia no local e começa com um sussurro e vai aumentando  progressivamente até gritar: “Estou diante da tua palavra senhor; fala que teu servo te escuta”! pedir que todos repitam.

3º momento – Falando com Deus
Agora de Joelhos todos rezam:
X Oração: Senhor te pedimos perdão pelas nossas ofensas, pois temos ofendido ao senhor, por pensamentos palavras e obras, e queremos limpar o nosso coração para nos colocar diante da Tua Palavra, porque a pureza do coração e a humildade são características fundamentais para a escuta e compreensão da mensagem divina. Nos colocamos  na tua presença e rezamos um Pai Nosso tentando olhar para cada um de nós como o Senhor nos olha. Pai Nosso... Pedimos ao Pai o dom do Espírito Santo porque a Bíblia é um livro inspirado por Deus e, portanto, deve ser lido e interpretado com a ajuda do Espírito Santo. Dá-nos senhor, o dom do entendimento. Amém.
Ler a passagem 2 Tm 3, 16-17.

4º momento – Cantando com Deus
X Cântico: Santo livro, Santo livro, louvado seja Deus por seus autores, louvado seja Deus por seus leitores, Santo livro, Santo livro,
Santo livro que me ensina a contemplar. Santo livro, Santo livro, Santo livro que me ensina a caminhar. 

sábado, 28 de julho de 2012

Dinâmica do amor


Será que o amor não tem definição? Desde a criação do mundo que o Amor tem sido um instrumento de uso contínuo de apreciações, inspirações e sobretudo, de sentimentos de todos os seres que manifestam vontade ou razão.
O Amor e o sentimento de benevolência, que desperta as ideias que nos une em torno de um bem comum, fazendo-nos sair de nós mesmos para encontrarmo-nos, na essência do outro ser, a medida da nossa própria essência.
 Definir uma ideia é uma tarefa até certo ponto viável. As ideias surgem como coisa sensível, eterna e imutável, pronta para se tornarem ações do dia a dia. Desta forma, as ideias são componentes indispensáveis nas contemplações que ordenam os pensamentos.
 Definir um sentimento é tão complicado quanto definir a própria existência. O sentimento encerra um estado de vida pessoal que es­capa a uma padronização. O sentimento tem variações difíceis de serem abrangidas, de serem encaixadas em fórmu­las, de serem expressos em terminologia humana.
Se alguém souber e puder me dizer o que é o “Amor”, por favor, deixe o seu comentário ou, visite o blog http://frasesepensamentosemgotas.blogspot.com.br/ deixando o seu comentário. Será publicado no blog de mensagem que tem o link acima. Se você quiser pode mandar para osoriosoaresgomes@gmail.com e será publicado com a assinatura do autor

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Reflexão - Deus existe?


Durante uma conferência com vários universitários, um professor da Universidade de Berlim desafiou seus alunos com esta pergunta:
“Deus criou tudo o que existe?”
Um aluno respondeu valentemente:
“Sim, Ele criou.”
“Deus criou tudo?”
Perguntou novamente o professor.
“Sim senhor”, respondeu o jovem.
O professor respondeu,
“Se Deus criou tudo, então Deus fez o mal? Pois o mal existe, e partindo do preceito de que nossas obras são um reflexo de nós mesmos, então Deus é mau?”
O jovem ficou calado diante de tal resposta e o professor, feliz, se regozijava de ter provado mais uma vez que a fé era um mito.
Outro estudante levantou a mão e disse:
“Posso fazer uma pergunta, professor?”
“Lógico.” Foi a resposta do professor.
O jovem ficou de pé e perguntou:
“Professor, o frio existe?”
“Que pergunta é essa? Lógico que existe, ou por acaso você nunca sentiu frio?”
O rapaz respondeu:
“De fato, senhor, o frio não existe. Segundo as leis da Física, o que consideramos frio, na realidade é a ausência de calor. Todo corpo ou objeto é susceptível de estudo quando possui ou transmite energia, o calor é o que faz com que este corpo tenha ou transmita energia.
O zero absoluto é a ausência total e absoluta de calor, todos os corpos ficam inertes, incapazes de reagir, mas o frio não existe. Nós criamos essa definição para descrever como nos sentimos se não temos calor”
“E, existe a escuridão?”
Continuou o estudante.
O professor respondeu: “Existe.”
O estudante respondeu:
“Novamente comete um erro, senhor, a escuridão também não existe. A escuridão na realidade é a ausência de luz.
A luz pode-se estudar, a escuridão não!
Até existe o prisma de Nichols para decompor a luz branca nas várias cores de que está composta, com suas diferentes longitudes de ondas.
A escuridão não!

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Dinâmica de um Paradoxo - Não tentarás o Senhor


Em Agosto de 2010 comecei a escrever este blog para ajudar os nossos catequistas. Com o passar dos tempos fui vendo que estava no caminho certo pois o nosso blog com pouco mais de um ano atingiu a faixa de 100.000 visitantes. Para comemorar esta data resolvi fazer uma dinâmica de interação com os nossos visitantes. Esta dinâmica consiste em um paradoxo que  cada um dos nossos amigos pode responder comentando ou divulgando o seu paradoxo para reflexão e será publicado, desde que sejam respeitados todos os argumentos para o bom senso e o bem comum.
 Eis o meu Paradoxo:
 Deus é onipotente, por isso pode fazer tudo, logo Ele é o Deus do impossível. Pergunta-se: Ele pode criar uma pedra que Ele não possa erguer? Se não pode criá-la, não é onipotente; se pode, então também não é onipotente, já que ao criá-la estaria originando algo que não poderia fazer (levantar o que tinha criado). Mas Ele é o Deus do Impossível! Como pode fazer algo que é impossível ser feito?
Em língua portuguesa, o paradoxo mais citado talvez seja o célebre soneto de Luís de Camões:
"Amor é fogo que arde sem se ver; É ferida que dói e não se sente; É um contentamento descontente; É dor que desatina sem doer;”
Mas como pode isso também se Deus é amor e em Deus não existe dor, tristeza ou qualquer sentimento negativo?
Esta dinâmica serve para refletirmos nos valores da vida, respeitar principalmente o que é de ordem Divina e saber obedecer mais a Deus do que tentar compreende-LO. A Palavra e o Poder de Deus deve ser obedecido e não tentado. Dt 6, 16.

Para ajudar segue abaixo uma pequena explicação sobre paradoxo.
Um paradoxo é uma declaração aparentemente verdadeira que leva a uma contradição lógica, ou a uma situação que contradiz a intuição comum. Em termos simples, um paradoxo é "o oposto do que alguém pensa ser a verdade". A identificação de um paradoxo baseado em conceitos aparentemente simples e racionais tem, por vezes, auxiliado significativamente o progresso da ciência, filosofia e matemática.
A etimologia da palavra paradoxo pode ser traçada a textos que remontam à aurora da Renascença, um período de acelerado pensamento científico na Europa e Ásia que começou por volta do ano de 1500. As primeiras formas da palavra tiveram por base a palavra latina paradoxum, mas também são encontradas em textos em grego como paradoxon (entretanto, o Latim é fortemente derivado do alfabeto grego e, além do mais, o Português é também derivado do Latim romano, com a adição das letras "J" e "U"). A palavra é composta do prefixo para-, que quer dizer "contrário a", "alterado" ou "oposto de", conjugada com o sufixo nominal doxa, que quer dizer opinião. Compare com ortodoxia e heterodoxo.