sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Dinâmica de Apresentação e acolhida - Me diga o nome


             
Uma das maiores dificuldades das pessoas nos dias de hoje é o conhecimento. Muita gente tem um montão de amigos, principalmente nas redes sociais e não os conhecem realmente como são. Muitas pessoas colocam frases feitas  como mensagens de acolhida sem se preocupar com os verdadeiros sentimentos.  Na vida real as coisas são diferentes. Muitas vezes  vemos as pessoas todos os dias mais não trocamos uma palavra com eles. Na catequese não pôde ser assim. Todos devem se conhecer, chamar sempre pelo nome, de preferencia pelo nome de batismo.
              A vida de Zaqueu foi transformada a partir do momento que Jesus o chamou pelo nome. E esta foi a maior experiência de Zaqueu em toda a sua vida. Zaqueu não conhecia Jesus, mas Jesus o conhecia.
           
Esse é o Deus que conhece todas as pessoas... O Deus que chama estranhos pelo nome... O nosso Deus, que é nosso Pai, e como todo Pai amoroso conhece todos os seus filhos e os chama pelo nome.
No vídeo abaixo um karaokê, música com letra, para que as crianças se apresentem brincando e aprendam o nome uns dos outros.  Use da criatividade.
              Uma dica é que os catequistas aprendam antecipadamente a música e possam cantar enquanto as crianças dizem o nome. Diga as crianças que quando a música para a criança que estiver com o objeto nas mãos deve dizer seu nome assim: Meu nome é___(Luis, Pedro ...) Faz-se um círculo somente com as crianças e os catequistas em volta cantam e batem palmas enquanto uma bola, flor ou outro objeto circula nas mãos das crianças até que a música pare. 
 

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

A teia do Conhecimento

Participantes: + - 20 pessoas.
Objetivo: Apresentação nos grupos; conhecimento mútuo; a importância de cada um assumir a sua parte na vida.
Tempo Estimado: 10 a 15 minutos.

Material: Um rolo (novelo) de fio ou lã. Fotos de cada participante. um isopor. Alfinete ou marcador de mural


Descrição: Dispor os participantes em círculo.
O coordenador toma nas mãos um novelo (rolo, bola) de cordão ou lã. Em seguida prende a ponta do mesmo em um dos dedos de sua mão e diz: "A partir de hoje o que irá nos unir será este novelo de lã".

Pedir para as pessoas prestarem atenção na apresentação que ele fará de si mesmo. Assim, logo após se apresentar brevemente, dizendo quem é, de onde vem, o que faz etc, joga o novelo para uma das pessoas à sua frente.

Está pessoa apanha o novelo e, após enrolar a linha em um dos dedos, irá repetir o que lembra sobre a pessoa que terminou de se apresentar e que lhe atirou o novelo. Após faze-lô, essa segunda pessoa irá se apresentar, dizendo quem é, de onde vem, o que faz etc…

Assim se dará sucessivamente, até que todos do grupo digam seus dados pessoais e se conheçam. O Rolo de lã deverá voltar para o coordenador. Como cada um atirou o novelo adiante, no final haverá no interior do círculo uma verdadeira teia de fios que os une uns aos outros.

Pedir para as pessoas dizerem:

– O que observaram;
– O que sentiram;
– O que significa a teia;
– O que aconteceria se um deles soltasse seu fio etc.

1ª Mensagem: Todos somos importantes na imensa teia que é a vida; ninguém pode ocupar o seu lugar. Você é único; não existe ninguém igual a você. Pense nisso.

Registre como ficou a teia para fazer o cartaz.
Colocar as fotos dos participantes em círculo no isopor  e colocar um alfinete na frente de cada foto e depois tecer a teia e colocar como mural.

Agora é hora de desfazer a teia. Começa novamente pelo coordenador. Ele retorna o novelo para a pessoa que jogou para ele chamando-á pelo nome e acrescentando uma qualidade vista na pessoa, como por exemplo: Rita, você é linda! João seu sorriso é cativante! (Importante: ao receber o rolo de lã deve enrolá-lo novamente para devolvê-lo.)

Quando o novelo chegar ao coordenador, este deve perguntar: " O que irá nos unir a partir de hoje será mesmo este novelo de lã? Esperar as respostas.

2ª Mensagem: O que une as pessoas são os ideais, o conhecimento entre ambos, as afeições e principalmente o AMOR. Este Amor é Deus. O que nos une de verdade é a presença de Deus em nossas vidas que deverá ser constante. A União vem do Amor (que é Deus) que nos une.